2011-03-27


sem título


eis um passeio
ao longo do mar
tão perto e tão longe
afastado de nós
pelas tarefas
por vezes inúteis
de um quotidiano
de rotinas petrificadas
até ao massacre extenuante
de um dia
após o outro
sem pausa
nem música
nem voz






9 comentários:

  1. Querido amigo,


    Um poema bonito, profundo...Um lamento. Quem não há de....!


    Carinhoso beijo e ótima semana.

    ResponderEliminar
  2. Um poema só pra sentir...Lindo!

    Beijo e ótima semana

    Maria

    ResponderEliminar
  3. Querido amigo,
    bellissima poesia molto sentita. Il desiderio di partire é sempre forte nel grigiore quotidiano. Le foto sono favolose:))
    Un caro saluto e baci

    ResponderEliminar
  4. .

    .

    . a poesia é também a assertividade com que se grita o mundo .

    .

    . e é tão certo o que escreve .

    .

    . um bom fim.de.semana .

    .

    . abraço.O .

    .

    .

    ResponderEliminar
  5. Relendo este belo poema do jeito que o poeta faz e que respondo com os sentidos.


    Um beijo com carinho.

    ResponderEliminar
  6. .

    .

    . re.afirmo o abraço de outrora . também hoje . a.manhã e sempre .

    .

    . paulo .

    .

    .

    ResponderEliminar
  7. Amigo POETA

    Desejo-lhe um FELIZ ANIVERSÁRIO, com tudo de bom, sobretudo SAÚDE, como merece.
    Um abraço forte.
    António

    ResponderEliminar
  8. Acho que o poema é uma profunda reflexão sobre o quotidiano, sobre as rotinas que, de tão petrificadas, nos incitam a olhares e modos de estar também eles petrificados.

    ResponderEliminar
  9. Concordo com a Marta e ia dizer o mesmo. Mas está em nós dar ao nosso viver um pouco mais de música e de voz, porque as pequenas coisas das Vida também têm a sua beleza. Uma pequena flor do campo enfeita tão bem e dá alegria ao olhar, como a mais bela e exótica flor... é preciso sabermos olhar com a alma...

    Um abraço

    ResponderEliminar