2010-02-27

Rio Sabor. O triunfo do cinismo, vitória da barbárie.






Sem comentários.

9 comentários:

  1. Adoro Rios e tomar banho neles. Mas há muitos anos que não o faço. Ainda me lembro de passar férias com os meus pais nas Termas de São Pedro do Sul e do Rio Vouga, de água limpinha, com barquinhos a remos. Também gostava muito de remar. Há poucos anos estive lá, já com o meu marido e o meu filho crescidinho. Queria recordar ao vivo e a cores as maravilhosas férias que durante alguns anos da minha adolescência e juventude lá passei. Foi uma desilusão!

    Jota, eu já te expliquei mais ou menos num comentário como devias fazer. Tu deves ser mesmo um despistado de primeira :) porque é tão fácil.
    Seja como for, dá-me novamente o teu e-mail, em comentário, para ver se te consigo explicar melhor.

    Gosto deste modelo, mas acho que a letra está emasiado grande.

    Ai..., Jota... Jota... :)))

    ResponderEliminar
  2. Este rio foi a minha praia... tempos de juventude!
    É sempre difícil saber até que ponto o progresso deve avançar sobre o estado natural. Tudo avançou sem que alguém desse explicações convincentes.

    Na verdade esta letra está demasiado grande, lerum poema implica baixar várias páginas. De resto há muito de interessante para ler, e ouvir.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  3. Concordo plenamente com o que disseram os anteriores comentaristas: as fontes estão enormes!.
    Preferia como estava. A mim "choca-me". Sempre achei, também, que o nome do do blogue não deveria estar em cima da imagem. Torna-se às vezes ilegível e, acima de tudo, "viola" a imagem, a sua integridade. Mas o autor é que sabe...

    Quanto ao "plano hidrológico" irei dizer frases comuns: 1)"Quem semeia ventos colhe tempestades"-adágio. 2)"...Quero eu que a Natureza/ que a Natureza sou eu/ e às forças da Natureza nunca ninguém as venceu..." - extracto de poema de António Gedeão 3)Dez (!!!!) barragens e em tempo de "crise". Quatro só no Alto Tâmega... Para aumentarem a potência em 2 ou 3% a potência (o que dará uma média - claro que umas produzirão mas do que outras - de 0,2 a 0,3% cada uma)!!!! Qual o valor do investimento? Para quê? Empregos? Só durante a construção. Trás-os-Montes continua a ter aldeias sem electricidade, água canalizada, etc...
    Quanto vale a biodiversidade? O património? A verdade é que estou a falar do ponto de vista humano; porque de resto a Natureza se encarregará de tudo isto (e de nós) e tudo reporá. Por acaso os sinais têm, por acaso julgo, sido bem intenso, mas nós continuamos cegos, surdos, mudos...

    Não digo mais nada...

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. É ... depois lamentamos estragos e vítimas .

    Tarde ou cedo a factura é sempre entregue .
    Pena ... os inocentes , quando existem .

    Beijo ,
    Maria

    ResponderEliminar
  5. Em criança, as ilhas de águas quentes do Pacífico, estavam tão longe,eram inimagináveis, que o Sabor era a água límpa onde faziamos a nossa praia.
    Ao mesmo tempo, mulheres das diversas localidades,deslocavam-se pela manhãzinha levando alguidares de roupa que lá tornavam branca de neve.
    Este Rio foi um poema de criança que vivi.
    Cada dia que passa, o homem inventa uma forma de destruir a natureza. e de vez em quando ela queixa-se.
    Um abraço
    esp

    ResponderEliminar
  6. Querido amigo, já sensibilizada com seu belo comentário, aqui cheguei. E vendo este vídeo, uma descarga de emoção no meu coração...

    " Vivemos numa época perigosa. O homem domina a Natureza antes que tenha aprendido a dominar-se a si mesmo". Albert Schweitzer

    E se me permitir colocar na margem do meu blog seu comentário poético, ficarei grata e feliz.

    "o menino que é homem-menino; é bom lembrar isso. Somos não só o presente mas toda a nossa história em crescimento - do útero ao agora, procurando o "cheiro das manhãs"


    Carinhoso beijo.

    ResponderEliminar
  7. Jota, desculpa! Não te respondi quanto ao meu "modelo". Primeiro, esqueci-me. Depois tive família lá em casa.

    O tamanho da letra está muito bem agora, e gosto deste "layout".
    ´
    Num comentário lá em cima, concordo com o facto de que não deverias escrever nada sobre a obra do cabeçalho. O título e o nome do autor estão em baixo e bem.

    Não vejo aqui a opção de "Perfil". Nele, podes colocar o nome do teu blogue e escrever o que quiseres.

    Abraço Jota.
    Fátima.

    ResponderEliminar
  8. Olá, Jota!

    E cada vez que desmatam, destroem e interferem mais na natureza, com mais força ela parece responder. Basta abrir os olhos para perceber! Grande postagem!

    Até!

    ResponderEliminar
  9. Ebaaaaaaaaaaa! Obrigada, amigo! Já coloquei, com muito carinho. E obrigada pelo comentário a minha foto. Sempre gentil. Beijos!

    ResponderEliminar