2009-10-18

Ordem

I

eis enfim alceu
no colo de safo
eis-me
na angústia das palavras
eis o mundo
no seu ruído inglório

eis as cinzas do mundo

só a fala
pode ensinar-me
a flor e o fruto


II

só a fala
é pausa
som
canto
música
só a fala
é universo

III

sem fala
a flor morre
o fruto aborta

falemos
de qualquer maneira
de qualquer maneira
falemos

o silêncio
é inútil

falemos
uma fala visceral
uma fala contida
uma fala cuidada

tanto faz

falemos

de qualquer maneira

falemos fisicamente
olhos nos olhos
tudo o mais
é inútil
ficção histéril
esterco
falemos
fisicamente
olhos nos olhos
só assim
aprendemos
a flor e o fruto



IV

eis enfim alceu
no colo de safo

eis enfim antinoo
sereno e feliz

eis enfim dionisos
entre as bacantes

eis enfim

a ordem




imagem Annie Leibovitz

17 comentários:

  1. Olá, Jota :)

    Foi um prazer reencontrar a tua voz poética tão original!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Boa noite, Jota!
    Pois então..., falemos! :)))

    Abraço, Jota.

    ResponderEliminar
  3. Boa noite, amigo!


    Poema e foto, fantásticos!


    "...só a fala
    pode ensinar-me
    a flor e o fruto..."


    É mesmo uma maravilha como você molda a sabedoria nas palavras jorradas da sua sensibilidade aguda. Obrigada, amigo!


    Carinhoso beijo

    ResponderEliminar
  4. ._______querido Jota




    .
    o subtil des.compasso
    o total des.acerto
    viver_______pode ser a tradução.dor

    é a dor de não ter resposta
    nem se vê o exacto contorno

    .o fruto
    que rasga.a.pele.da.íris

    traduz.infinito________...

    .
    mas falemos.sim.falemos!


    ...



    belo o teu poema.amei








    ___________///








    beijO______ternO
    b.f.semana

    ResponderEliminar
  5. Bom dia, boa tarde e boa noite.

    Sim, o silêncio é inútil.
    Falemos de todas as maneiras.
    Ainda é tempo de olhar nos olhos...

    As imagens que vejo são lindas.

    Até mais.

    ResponderEliminar
  6. Boa noite, Jota!
    Passei para te desejar uma boa semana!
    Fátima.

    ResponderEliminar
  7. Que bom !
    segui o seu desafio e cá estou.
    Além deste site que é excelente deu-me a possibilidade de descobrir uma série de outros que desconhecia e de que também gostei bastante.
    Obrigado.
    Adenda:
    Outras considerações estão na resposta ao seu comentário no "Vermelho".

    ResponderEliminar
  8. .________querido Jota


    .
    um_______:)



    .e


    .uma boa.semana


    beijO______ternO

    ResponderEliminar
  9. Jota, tens um selinho lá na minha página.
    Não demores a ires buscá-lo, ok?

    Abraço.
    Está tudo bem contigo? Espero que sim.
    Fátima.

    ResponderEliminar
  10. Obrigado pela visita lá no blog, pela atenção e palavras amigas e carinhosas.
    Seu texto tem vida, alma, poesia. Parabéns!
    ney.

    ResponderEliminar
  11. Olá Jota

    Ando mesmo sem jeito para comentar. Espero que a "fala" me venha em breve.

    Contudo, não posso deixar este espaço em branco, pela qualidade extrema deste teu poema. Talvez o que mais tenha gostado de todos os que li teus.
    Beijinho e força em relação aos obstáculos que giram à volta da formação.

    MV

    ResponderEliminar
  12. É claro falemos Jota, as palavras são imprescindíveis à nossa vida.
    Os silêncios sufocam-nos tantas vezes, apesar de serem precisos muitas e muitas vezes por inúmeras razões que aqui não vou nomear.
    Um bom fim de semana para ti e fala comigo :)!!!
    Beijo
    Isabel

    ResponderEliminar
  13. Passei para falar um pouco contigo :)

    E deixar um abraço.

    ResponderEliminar
  14. Agradeço e vim retribuir a visita. Gostei muito deste poema, expressa-se de uma forma muito original. Realmente é preciso destruir o silêncio, embora quando o ruído se torna cansativa, o silêncio seja um bálsamo... então de mãos dadas é possível fazer do silêncio um ruído muito pessoal...
    Parabéns pelo seu blog, que tenho que explorar melhor,
    Um abraço,
    Manuela

    ResponderEliminar
  15. ..., pois é... e tu silencias..., nem no face respondeste..., volta Jota..., volta. Poetar é preciso.

    Boa noite Jota.
    Fátima.

    ResponderEliminar
  16. E no silêncio
    a fala
    é a palavra
    que ecoa no coração
    e nos
    sentidos.

    Adorei este Poema e disse-me tanto!!!
    Bj

    ResponderEliminar
  17. Por vezes, as palavras ouvidas, são pensamentos.

    ResponderEliminar