2009-07-21

ténue (poema). Nico - ciclo.

Sugiro que desligue o som no leitor ao lado.



ténue



um beijo atiça os teus lábios
e tu
ávida mas sem surpresa
suspendes o gesto
assim o tempo é mais teu
e segundo a segundo
gozas o aroma desse
sopro vital







6 comentários:

  1. Porquê ténue, Jota?... Um beijo que atiça embora fique suspenso para gozo do sopro é algo de muita intensidade.

    Bons vídeos e eu que não conhecia! Aliás, os que tens publicado têm sido muito do meu agrado.

    Relaxa, não stresses e espero para o ano um blogue teu sobre a PNEP, ainda gosto de ir seguindo esses caminhos.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. ..., subi um degrau...
    Acho que já te escrevi que gosto muito destes teus pequenos / grandes poemas.

    (o segundo vídeo está inviabilizado)
    O primeiro: agrada-me ouvir canções mais antigas às quais se deram novas roupagens. É um exemplo do que escrevi aqui em baixo:
    ... a originalidade da transformação.

    Abraço jota.
    Fátima

    ResponderEliminar
  3. Um beijo nem sempre é ténue, às vezes é muito forte e com sentimento ainda mais.
    Beijo Jota
    Isabel

    ResponderEliminar
  4. Estou aqui. :)

    A vida é um sopro.
    Você é um encantador de palavras... que maravilha!

    Beijos e volte lá p/ me visitar.

    ResponderEliminar
  5. Adorei! Adorei! O poema tem uma intensidade tamanha que me causou exatamente este suspense... Tão suave e ao mesmo tempo tão intenso... Como se capturasse os segundos de quem o lê. Fantástico efeito!


    Os vídeos, maravilhosos...Sabe, gosto de me dar o prazer de vir aqui e desfrutar do que leio, vejo, ouço e sinto. Fazer destes momentos o meu tempo. Tempo este em suspensão...


    Obrigada! Beijos

    ResponderEliminar