2009-05-13

No ginásio e ... Zappa

Está decidido; os quarenta não perdoam. Agora é que é o fim da celulite e das piadas das amigas. Berta, para o ginásio já. Chego. Entro. Cabeça para cima, peito erguido, nada de mamas descaídas, toalha branca no ombro e monto a bicicleta. Mp3 nas orelhas que nem brincos Cucci. Metálica. Pedalo, pedalo, pedalo, pedalo... Chega de aquecimento. Dez quilómetros. Força. Vais conseguir. A viagem é longa. Para quem não esfrega o chão nem lava no tanque, nem anda a pé pelas belas, povoadas e límpidas ruas de Lisboa, nem usa os transportes públicos, nem anda com os filhos pela mão a fazerem birras porque têm sono e estão fartos de serem depositados no contentor-escola, onde eles e os professores esfregam a testa, tentando banir a ansiedade face ao tempo que tudo engole, principalmente quando não respeitamos e nos esquecemos de olhar os olhos dos outros e a sua luz negra ou solar ou nem esta nem aquela, pois o dia de ontem foi assim-assim, desenxabido e turvo, para quem não faz nada disto, o ginásio é uma benção. Apetece-me água e não a trouxe, se saio daqui para ir ao bar perco ritmo e nunca mais acabo a caminhada. Pingo suor por todo o lado, até de entre as pernas ele escorre. Que nojo... Para o que me deu. Eia, 45 kilocalorias a menos!... O mostrador deve estar doido, tanto em tão pouco... Viciaram o programa, queres ver… Não quero ver nada, é pedalar com força, estou a meio. O raio do suor entre as pernas irrita-me, não vou conseguir. Se estivesse mas é a montar com força um belo homem não estaria aqui a medir perda de calorias e a dar às pernas sem sair do sítio nem em sonhos. Se aquele que me possuiu no centro comercial, sem eu saber de onde veio, aparecesse aqui, deixava esta coisa e montava-o a ele. Nem deixou número de telemóvel nem nome, veio e foi como o ladrão boliviano e eu fiquei ali estendida no chão da casa-de-banho de olhos cerrados, acordando com uma loira fingida, esquálida e jovem a estragar-me o último devaneio, ficando para ali a masturbar-se e a gemer estupidamente sozinha como eu estou agora feita imbecil; porém, pelo menos tenho gente à volta e a solidão aguenta-se melhor. A Mida é parva, andar por aí atrás de homem é uma treta, só dá chatice e nunca casamento sério, honesto e respeitável. E para quê? Para acabar em casa a tratar-lhe da roupa e mais tarde do perfume e batôn das outras. Deixa-te disso Berta, ela é burra ou tem manias de princesa. Pedala Berta, pedala e cala os teus devaneios mudos. Conseguiste. Hoje conseguiste fazer os dez quilómetros. Vá, salta daqui para a balança. Nada mau, esta semana foram 500 gramas a menos. Bravo Berta, és a maior, não fodeste mas deitaste fora 500 gramas e não tiveste que aturar ninguém. Duche. Toalha. Roupa. Cabeça para cima, peito para a frente, nada de mamas descaídas que pesam muito e deprimem. Marche. Porta fora. Rua. Está mais alegre a cidade e a noite cai. Embora Berta, jantar no Shopping, umas montras e casa-de-banho até de manhã. Depois logo se vê.

Zappa. Mais humor-sátira.

13 comentários:

  1. Olá Jota

    He, he, estás voltado para a sátira. Que desperdício, estou a referir-me à Berta, pedala, pedala e nem vê a paisagem.

    Não servia para mim tanto exercício, sou muito comodista. Não te canses que não vale a pena, é o meu lema.
    Centros comerciais? Nem vê-los, gosto de andar pela cidade, pelas ruas, entrar numa igreja, passar por um jardim, ver o rio e o mar.

    Se a Berta ganhasse juízo fazia melhor, tens razão, Jota, quem paga é sempre o corpo, os filhos, está por demais esta decadência.

    Beijinhos em Porto sempre poético,
    Isabel

    ResponderEliminar
  2. Poemar-te, há selos/ofertas no "contracenar". Se quiseres, são teus também.

    (cansadita para comentar)
    Abraço.
    Fátima

    ResponderEliminar
  3. Poemar-te, tens aqui um texto muito bom!
    ... e eu continuo cansada e irritada - quando estou assim, lá vem ao de cima um grande defeito meu: fico fria e com mau feitio - ninguém é perfeito.
    Olha, não leves a mal, aproveito para desabafar um pouquinho e escrever que quero é que as bertas deste mundo sejam muito felizes e tenham muitos meninos e meninas...
    Para desanuviar, fui olhar-me ao espelho e ainda chego à mesma conclusão: até os 50 perdoam, quanto mais os 40... :)))

    (mais um dia ou dois e isto passa-me)
    Ciau jota.
    Abracito

    ResponderEliminar
  4. Ei..., Jota..., mesmo com mau feitio, já matei aqui 3... MOSCAS :)))

    ResponderEliminar
  5. Bom... ora bem... hummmm... hummm... :))

    Pobres Bertas, tão reveladoras de um modo de ser, humano-desumano,desencantado...

    Por outro lado, isto fez-me lembrar uma existência pautada, doa o que doer, por objectivos. Não importa quais, importa tê-los, nem que se traduzam na redução de umas gramas :)

    Mas... se a(s) Berta(s) é(são) feliz(es) assim, é vê-la(s) ser(em)...

    Pessoalmente, não tenho paciência para ginásios. Nem o correr do tempo me leva até lá. Não tenho emenda :)

    Um texto e tanto! Repleto de questões existenciais.

    Fica também um beijinho!

    P.S. - Tenho andado cansada e cheia de trabalho, acredita. Daí a demora no alinhavar de ideias, necessário para fazer justiça ao teu texto.

    ResponderEliminar
  6. Sabes Jota, quando aludiste à Berta lá no lua com dona, veio-me à cabeça um artigo sobre uma burra... Errei muito?
    Agora mais a sério, parabéns pela coragem de abordares uma Berta que é figura típica de tantas Bertas dos nossos dias. Claro que respeito as Bertas, mas não se enquadram na minha maneira de estar no mundo e de com ele me relacionar, emboratde vez em quando também seja um bocadinho Berta... Se calhar, todos somos...
    Normalmente nascem Bertas quando as vidas ficam vazias da riqueza que a vida pode ter. Hoje usa-se e abusa-se daquilo que é moderno e que está na crista da onda. As (des)vantagens do envelhecer e suas onsequências físicas e emocionais, o caminhar como carneirinhos para determinados sítios, a negligência afectiva com os filhos... são alguns galhos secos do esplendor da árvore da vida.
    A brincar, a brincar escreveste um artigo muito sério. Parece-me que todo ele remete para uma "masturbação da vida"... Mas se a masturbação preenche a vida ou se não há melhor, fique-se então com o que está ao alcance.

    Beijinhos e vê lá o que vais fazer no fim de semana, também há por aí muitos Bertos... Desculpa, claro que estou a "picar-te", hoje levantei-me bem disposta.

    (Um segredo só de nós dois, já tive um bocadinho a mania dos centros comerciais, mas portei-me sempre muito bem (eh!eh!) e também faço ginática, embora muito alentejanamente...

    MV

    ResponderEliminar
  7. Esqueci-me de dizer-te que a linguagem pode ferir susceptiblidades, devias ter posto bolinha no canto superior direito...

    Mais um beijinho

    MV

    ResponderEliminar
  8. Tantas Bertas que andam por aí nesta altura do ano para terem um perfeito corpito, quando começa a época balneária______________não sou nada Berta____________adoro andar a pé de preferência à beira mar, na muralha de Cascais, ou então nos Alentejos, entre os pinheiros, com o chilrear dos pássaros e é muito mais saudável.
    Beijo

    ResponderEliminar
  9. Subscrevo quase na íntegra o que disse Marta Vasil, em particular quando refere a "masturbação da vida". Acrescento que creio não ser fácil chegar-se a "meio" da vida e reflectir acerca dos projectos em que se acreditou e que ficaram por cumprir. Acredito mesmo que pessoas haverá que ficam tão desesperadas perante o que julgam ter perdido que se arrisquem a perder a própria dignidade. Pode ser que o ginásio ajude as Bertas/Bertos a queimar pecadilhos, mas de nada lhes vale procurar paliativos para o que nunca na alma se encontrou. Se lá estiver, depressa voltará a emergir. Bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  10. Um texto com excelentes observações, amigo! Adorei. E comentários com ótimas conclusões. Seria repetitiva. Gostaria de ter um tantinho de disposição do lado Berta - ginástica para que meus 50 me perdoe rsrsrs. Estou propensa a crer que a dinastia Berta originou-se no RJ,Br.



    Ótimo fim de semana! Beijo

    ResponderEliminar
  11. ._________querido Jota


    bom!______as férias por agora acabaram:=)


    .ai meu deus!!! tantas.tantíssimas Bertas que nos rodeiam a todo o momento!


    _________________///






    beijO____ternO
    bFsemana

    ResponderEliminar
  12. Olá Jota

    Hoje estou a espantar os dorminhoco(a)s da cama. Toca a sair para a rua, apanhar uma molha e chapinhar com os pés.

    Depois, segue-se uma travessa de arroz-doce e um bom filme.

    Achas pouco? Não reclames, experimenta e vais ver como sabe bem.

    Beijinho
    Isabel

    ResponderEliminar
  13. O Senso é um grande filme! Absolutamente memorável!

    Excelente escolha :))

    Desejo-te um bom fim-de-semana, com alguma oportunidade de descanso...

    ResponderEliminar